Imagem capa - Relatos desastrosos em casamentos por Tomaz Fotografias
Assuntos variados

Relatos desastrosos em casamentos

Imagina se no dia do seu casamento todos os serviços são mal prestados?


A má prestação dos serviços de casamento é muito mais normal do que imaginamos, nós profissionais de imagem talvez lidamos com isso frequentemente devido à atenção que devemos dar aos detalhes, e no meu caso a diversidade grande de cidades que me faz trabalhar cada vez mais com novos fornecedores. Entre os fotógrafos é recorrente a reclamação de casais que se arrependeram na contratação do profissional, em 2015 aconteceu um caso bem extremo no Mato Grosso veja:


"Fernanda Cristina Fernandes e Wisllen Richard da Silva se casaram em 2015, mas ficaram sem registros da cerimônia após o fotógrafo contratado pelo casal não entregar o serviço combinado. Sensibilizado com a história do casal.Eles passaram dois anos preparando o casamento que ocorreu em 2015. Eles contam que contrataram todos os serviços com antecedência, porém a cobertura fotográfica ficou para última hora e foi contratada por fora do pacote. Ao receber o trabalho final, o casal ficou frustrado."A hora da entrega das fotos foi a nossa maior decepção. Não tinham fotos nossas, nem o making of da noiva e todos os convidados saíram com a cabeça cortada nas fotos”, explicou o noivo.De acordo com Wisllen, o combinado entre os noivos e o profissional eram registros fotográficos desde a preparação da noiva no salão de beleza até a festa de casamento. No entanto, no lugar das fotos digitalizadas e editadas, o casal recebeu apenas uma apresentação de slides com fotos defeituosas ou em qualidade ruim.Ele relatou que os únicos registros que o casal teve do dia do casamento são fotos tiradas em celular pelos convidados. Todo o transtorno e o descaso com o momento tão aguardado fizeram com que Fernanda ficasse doente, sendo diagnosticada com início de depressão.“Meus parentes vieram para Cuiabá apenas para o meu casamento e eu não tenho nada disso registrado. Eu perdi tudo que eu sonhei e batalhei durante anos. Eu não posso ouvir a música do casamento até hoje”, contou a noiva."





Este tipo de fato está muito aliado à escolha dos profissionais pelo preço, nós costumamos dizer que a fotografia é como vinho "se você escolhe um vinho barato, provavelmente ele será meio amargo, e no outro dia te tratá uma enorme dor de cabeça". Dica? NÃO ESCOLHA UM PROFISSIONAL PELO PREÇO.

Outro caso, dessa vez com uma cerimonialista, aconteceu no DF e a noiva diz ter sofrido calote de cerimonialista: 'não atende telefone':


Uma noiva de 30 anos do Distrito Federal diz ter sofrido um golpe de um cerimonialista. Segundo ela, a festa de casamento ficou sem som, iluminação e DJ. A mulher diz que o serviço custou R$ 10 mil e foi pago à vista ao profissional, que teria sumido no dia da cerimônia. O caso está sendo investigado pela 1ª DP.A cerimônia religiosa ocorreu na Paróquia São Pedro de Alcântara, na QI 13 no Lago Sul. A festa foi no Clube de Servidores da Justiça no DF. De acordo com a mulher, ela e o noivo, de 37 anos, esperaram seis anos para trocarem alianças e gastaram R$ 100 mil na festa.

"Ele não atende telefone, saiu de todas as redes sociais. Sumiu completamente e não tem mais como entrar em contato com ele", diz a noiva, que preferiu não se identificar. O endereço que aparece no contrato de casamento não existe. Já no site da Receita Federal, o CNPJ da empresa consta em nome de outra pessoa.

Para o delegado da 1ª DP, o caso pode ser configurado como estelionato. Nesta semana, investigadores irão tentar encontrar o suspeito e identificar se existem outras vítimas.

"É frustrante você planejar um sonho, tudo programado pra uma pessoa chegar em uma noite e destruir seu sonho de anos", lamentou a noiva.
Esses são 2 de vários relatos que ocorrem na internet, infelizmente se tornou comum os noivos serem lesados de alguma forma por profissionais de casamento.Nossa luta não é por retirar profissionais do mercado, mas sim retirar os desonestos desse meio, pra que assim todos tenham o serviço que contrataram.


Histórias: g1.com